Juiz de Fora > Igreja São Sebastião


Localizadas nas imediações do Parque Halfeld, convivem em harmonia as Igrejas de São Sebastião e a Metodista. A Igreja São Sebastião cuja torre
no centro da fachada, vazada em arcos plenos, encimada por uma
estátua de São Sebastião foi construída em terreno doado pelo comendador Henrique Guilherme Fernando Halfeld em 1872 e inaugurada em 1878,
com o mecenato de João Ribeiro Mendes, como Capela São Sebastião.
A Igreja foi inaugurada em 1878, estando presente o Imperador
Dom Pedro II. Sua preservação, bem como o seu ajardinamento, é importante por ser parte integrada do "Setor Histórico do Parque Halfeld", composto pelo antigo Fórum, cuja inauguração foi no mesmo dia do da Igreja São Sebastião em 1878.

A primeira capela metodista só foi inaugurada em 1921, no bairro Mariano Procópio. A igreja situada na rua Marechal, de frente para o Parque Halfeld, foi inaugurada em 16 de outubro de 1928.

No passado, autoridades religiosas e fiéis católicos e protestantes enfrentaram uma disputa pelo “rebanho” juizforano, que muitas vezes chegou a confrontos diretos e violentos. De perfil progressista, urbana, cosmopolita, fabril, operária, capitalista,
A cidade jamais foi influenciada ou se identificou com a cultura colonial – símbolo de Minas das cidades barrocas e suas igrejas. Por isto, no século XIX, era objeto de atenção dos líderes católicos, preocupados por estarem os “ricos”, os jovens e os operários afastados da Igreja.

O Bispo de Mariana, D. Antônio Ferreira Viçoso, dirigiu uma Carta Pastoral especialmente à cidade, em 1873, manifestando seu desagrado quanto ao progresso e ao comportamento anticlerical do povo de Juiz de Fora. A preocupação aumentou com a chegada dos metodistas  ao município, atraídos pela imagem liberal da cidade – campo propício à disseminação dos princípios orientados para a valorização do trabalho, do racionalismo e da eficiência, idéias que seriam propagadas, no Brasil, nos templos e escolas metodistas.

Por volta de 1884, os primeiros cultos metodistas já eram realizados na cidade, em pregações de pastores como Tarboux, Lander e Soper, além do Bispo Granbery. Os jornais da época registram o  embate ideológico entre católicos e metodistas – os primeiros dispostos a “salvar a paróquia dos lobos protestantes”, e os últimos, acusando os padres de pretenderem escravizar o povo.

O jornal “Lar Católico” foi criado em 1891,  pelo Padre Venâncio Café, 2º Vigário de Juiz de Fora, com o objetivo de combater o protestantismo. Mas a disputa não ficou só no discurso. Pastores e templos metodistas foram agredidos a pedradas por católicos irados, instigados pelos padres.
A Igreja São Sebastião possui adro gramado com pequenas ilhas
ajardinadas e escadaria de acesso. Na fachada destaca-se a torre que, ocupando a parte central, inicia na porta de acesso e vai até a imagem
de São Sebastião, acima da sineira. As janelas e portas acompanham
arcos tendo as vergas e as sobrevergas curvas.

O interior da igreja é simples e moderno. A Igreja de São Sebastião sofreu sua última restauração de 1999 ao final de 2000. Com esta obra foram recuperadas as pinturas originais das paredes do templo que estavam cobertas por sete camadas de tinta. O restaurador foi Adilson José do Nascimento. O telhado também foi reformado. A Igreja comporta cerca de 420 pessoas sentadas.

Fonte: Tribuna de Minas, Arquivo Pessoal

< voltar >

 

 

 

 

saosebastiao
saosebastiao
saosebastiao
sao sebastiao
sao sebastiao
sao sebastiao
sao sebastiao
sao sebastiao sao sebastiao