Juiz de Fora >Rua Direita> Av. Rio Branco

 


A Avenida Rio Branco é um marco geográfico para a cidade. É, também, uma referência histórica, não só pelo fato de desviar o núcleo original de povoamento, mas porque assume uma dimensão maior que seus quatro quilômetros em linha reta, ao se destacar como o centro para onde convergem as forças e instituições do poder.

Quando Halfeld projetou a Estrada Nova, em 1836, uma alternativa ao Caminho Novo de Garcia Paes, traçou um novo rumo para a história de Juiz de Fora, redesenhando seu perfil geográfico e desviando o desenvolvimento para a margem direita do rio Paraibuna. Pouco tempo depois de construída a estrada, o trecho que hoje sustenta o eixo central da cidade já se transformara em rua chamada Principal e, depois, Direita, hoje Av. Barão do Rio Branco.

A Rua Direita é a reta onde cabe todas as ruas de Juiz de Fora. Entre o Largo do Riachuelo e o Alto dos Passos, segundo Pedro Nava, ela é dividida pela Rua Halfeld (antiga rua Califórnia), que desce como um rio, do Morro do Imperador, e vai desaguar na Praça da Estação, tendo à sua direita até o alto dos Passos, onde estão  presentes colégios, a Catedral, a Santa Casa de Misericórdia, toda uma estrutura social bem presente.

Já na margem esquerda da rua Halfeld marcava o começo de uma cidade mais alegre, despreocupada e mais revolucionária, que se dirigia para o Mariano Procópio. Esse lado popular e irreverente contradiz o outro, o Alto dos Passos, conservador e aristocrata.

 

 

 

 

< voltar >

aojoao
rbrenco rbranco
saojoao
rbranco rbranco
saojoao
rbranco rbranco
rbranco rbranco rbranco
rbranco rbranco rbranco
rbanco rbranco rbranco
rbranco rbranco rbranco
rbranco rbranco rbranco
rbranco rbtranco rbranco
rbranco rbranco rbranco
rbranco rbranco rbranco
rbranco bpastor rbranco
avriobranco avriobranco avrbranco